BLITZ – A história trágica de Anton Yelchin, o protagonista do filme …

Estreia hoje nas salas de cinema portuguesas o filme Porto, protagonizado por Anton Yelchin, ator russo falecido no verão do ano passado. A película do realizador novato Gabe Klinger, e coproduzida por Jim Jarmusch, foi filmada no Porto e é uma das últimas a contar com a presença de Yelchin. Veja o trailer abaixo.

Nascido em São Petersburgo, na Rússia, em março de 1989, Yelchin mudou-se com a família para os Estados Unidos ainda criança. Começou a sua carreira na representação ainda nos anos 90 e teve a primeira grande oportunidade na minissérie de televisão de Steven Spielberg, estreada em 2002, Taken (Eles Vieram em Paz).

Continuou a trabalhar em televisão até morrer, tendo dado voz à personagem principal da série de animação Trollhunters, de Guillermo Del Toro, cuja primeira temporada estreou no ano passado, já depois da sua morte.

Mas Yelchin tornou-se conhecido do grande público como Chekov, uma das personagens mais acarinhadas dos mais recentes filmes da tale Star Trek. Participou em três: Star Trek (2009), Além da Escuridão: Star Trek (2013) e Star Trek: Além do Universo (2016).

Anton Yelchin em “Star Trek” (2009)

Além de Star Trek, entrou no filme de culto Só os Amantes Sobrevivem, de Jim Jarmusch, e Green Room, película de terror, estreada também postumamente, na qual desempenhava o papel de membro de uma banda punk que se vê em apuros depois de entrar em conflito com nazis. Dava também voz ao Smurf Trapalhão nos filmes baseados nas personagens de banda desenhada belga.

Anton Yelchin no filme “Green Room” (2015)

Na manhã de 19 de junho de 2016, o corpo de Yelchin foi encontrado preso entre o seu automóvel, um Jeep Grand Cherokee, e um pilar de tijolos no extraneous da sua casa em Studio City. Segundo reconstituição do sucedido, o ator terá saído do automóvel e este terá descaído.

Como se encontrava numa rampa, o carro, ao descair, empurrou Yelchin contra o pilar, esmagando-lhe os pulmões. A morte não foi considerada suspeita e na certidão de óbito a causa é identificada como “asfixia traumática”.

No entanto, os pais do ator decidiram processar a marca do automóvel, tendo em conta que alguns modelos foram vendidos com falhas na transmissão que provocavam deslizamentos não intencionais. Os problemas já tinham sido comunicados aquando da morte de Yelchin, mas nenhum veículo tinha ainda sido reparado.

Anton Yelchin (à direita) no filme “Porto” (2016), com Lucie Lucas (à esquerda)

Além de Porto, estão ainda por estrear em Portugal três filmes nos quais o ator participou: Rememory, Thoroughbreds e We Don’t Belong Here.

More about ...